Missão do Banco Mundial será realizada de 28 de julho a 1º de agosto em Minas Gerais e Brasília

abc-cerrado

Na próxima semana, integrantes do Banco Mundial participarão de uma missão organizada pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e pela Embrapa para definir os últimos detalhes do Projeto Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (ABC/Cerrado). A programação começa no dia 28 de julho e encerrará com a assinatura do acordo de doação de US$ 10,6 milhões para a execução do programa, dia 1º de agosto.

Durante os cinco dias de atividades, a comitiva visitará duas fazendas no município de Curvelo (MG), além da sede da Embrapa Cerrados, em Planaltina (DF). Nesses locais, os técnicos poderão conhecer áreas experimentais onde já são aplicadas algumas das práticas difundidas pelo programa, como plantio direto e integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF). A agenda seguirá com uma oficina de implementação do projeto que debaterá, entre outros temas, o papel do SENAR nas ações previstas, o gerenciamento financeiro e o plano operacional anual 2014. Também será realizada uma apresentação dos principais resultados da avaliação socioambiental. A oficina contará com a participação das nove Administrações Regionais do SENAR envolvidas no ABC/ Cerrado.

Após a assinatura do acordo, a próxima etapa será iniciar a elaboração do material didático e dos conteúdos das capacitações, junto com a Embrapa. A seleção dos consultores responsáveis pelo treinamento dos instrutores, supervisores e dos técnicos de campo também será iniciada neste segundo semestre, para que o projeto possa ser executado a partir de 2015.

patricia_1

“Chegamos ao final da elaboração do projeto com aprovação de todos os documentos pelo Banco Mundial. A partir de agora, estamos prontos para dar início à execução e cumprir a missão do SENAR. Temos um longo caminho pela frente, pois cada etapa deverá ser feita com muito critério, seguindo as orientações e regras do Banco. Como se trata de um projeto piloto, faremos um monitoramento e avaliação de cada atividade prevista, desde a seleção dos agentes envolvidos (consultores, supervisores, instrutores e técnicos de campo), os seminários de sensibilização até a realização das capacitações e da assistência técnica junto ao produtor rural. Esperamos a participação de todas as Administrações Regionais do Bioma Cerrado neste grandioso projeto”, declara a coordenadora de projetos especiais do Departamento de Educação Profissional e Promoção Social (DEPPS) do SENAR, Patrícia Machado.

Projeto ABC/Cerrado

Ação conjunta do SENAR, do Ministério da Agricultura e da Embrapa, o Projeto ABC/Cerrado pretende incentivar e difundir a adoção de práticas sustentáveis para a redução das emissões de gases de efeito estufa e sensibilizar o produtor para que ele invista na sua propriedade de forma a ter retorno econômico mantendo o meio ambiente preservado. O SENAR será responsável pela capacitação nas tecnologias, formação profissional e pela assessoria em campo, com recursos do Programa de Investimentos em Florestas (FIP, sigla em inglês) – via Banco Mundial.

O ABC/Cerrado vai atender nove estados do Bioma Cerrado (Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Maranhão, Bahia, Piauí, Minas Gerais e o Distrito Federal), num período de três anos, com a promoção de quatro processos tecnológicos: recuperação de pastagens degradadas, integração lavoura-pecuária-floresta, sistema de plantio direto e florestas plantadas.
O projeto prevê a realização de seminários de sensibilização e divulgação nos estados participantes, capacitação tecnológica de produtores e gerentes de propriedades e instrutores do SENAR e, ainda, treinamento dos técnicos que atuarão na assessoria em campo para os produtores. Ao todo, 1.200 propriedades serão atendidas nos projetos piloto a serem implementados em Minas Gerais, Goiás, Tocantins e Mato Grosso do Sul. Esses estabelecimentos terão o compromisso de executar uma das tecnologias aprendidas e serão transformadas em cases de estudo e vitrines tecnológicas.

Fonte: SENAR