Até terça passada, foram registrados 3.208 focos.

incendiosEm 2005, foram 4.047 incêndios no mês inteiro, número que deve ser superado este ano se a média de novos focos se mantiver até o dia 31: 160 novos casos por dia.

O número de queimadas registradas no país em janeiro pode ser o maior para o mês desde 2005, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Até esta terça-feira, dia 20, foram registrados 3.208 focos. Em 2005, foram 4.047 incêndios no mês inteiro. O número deve ser superado este ano se a média de novos focos se mantiver até o dia 31: 160 novos casos por dia. O chefe substituto do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais do Ibama, Gabriel Zacarias, afirma que pesquisas apontam o homem como principal responsável pelas queimadas em matas e florestas.

Mato Grosso, Pará e Maranhão são os três estados com o maior número de queimadas neste início de ano, segundo o Inpe. O Rio de Janeiro aparece na décima sexta colocação, com 70 casos. No entanto, o número representa um recorde para o mês de janeiro no estado. Superou os 35 registros de 2014. O diretor-geral da Defesa Civil Estadual, coronel Paulo Renato Vaz, ressaltou que diante do crescente número de focos de incêndio o órgão adotou novas medidas para que o monitoramento seja mais eficaz.

“O que nos estamos assistindo é período de grande estiagem quando deveria ser de grande precipitação pluviométrica. Sensível a isso, a secretaria determinou, no dia 13 de janeiro, que nós montássemos o Centro Integrado de Comando e Controle Regional para poder monitorar inúmeros casos de incêndio florestal e oferecer um combate com mais efetivo”.

Na capital fluminense, os parques e os gramados estão deteriorados pela ação do sol. De acordo com a Fundação Parques e Jardins do Rio de Janeiro, devido à estiagem, o município tem encontrado dificuldades para preservar as mudas plantadas na cidade e conservar a vegetação de grandes parques, como a Quinta da Boa Vista e o Campo de Santana, que ficaram prejudicados.

Fonte: CBN