O diretor geral substituto do Serviço Florestal Brasileiro (SFB), Marcos Vinícius da Silva Alves, disse que o Brasil precisa produzir 21 milhões de metros cúbicos em toras para suportar o mercado interno em 2020

Marcos Vinícius Silva Alves, diretor geral substituto do Serviço Florestal Brasileiro (SFB)
Marcos Vinícius Silva Alves, diretor geral substituto do Serviço Florestal Brasileiro (SFB)

O governo federal deve investir forte em reflorestamento em terras degradadas da União com a finalidade de se tornar uma potência florestal em madeiras tropicais. De acordo com o diretor geral substituto do Serviço Florestal Brasileiro (SFB), Marcos Vinícius da Silva Alves, o próprio País consome mais de 80% de tudo que produz em madeira.

Segundo Alves, o governo federal está trabalhando para eliminar a competição ilegal, aumentar a disponibilidade florestal, melhorar a produtividade e competitividade das empresas, recuperar e ampliar a posição no comércio exterior do setor madeireiro, além de criar políticas que incentivem o aproveitamento total dos resíduos.

“Hoje, 60% do nosso território são compostos de florestas naturais e apenas 1% vem das florestas plantadas. Nossa meta é chegarmos 36 milhões de hectares de florestas plantadas para uma produção de 21 milhões de metros cúbicos de madeira em toras”, disse Alves durante palestra no 2º Workshop Brasileiro de Mogno Africano, realizado em Goiânia.

No momento, o Brasil tem pouco mais de 8 milhões de hectares com florestas plantadas. Na avaliação de Alves, só o governo federal deve plantar mais 8 milhões de hectares com o objetivo de reduzir o desmatamento e diversificar o mercado madeireiro. “A demanda por madeira é crescente e o governo trabalha para fortalecer o setor”, destacou Alves.

Fonte: Painel Florestal