A capinha não só protege o smartphone, como também aproveita o movimento das mãos para dar a energia suficiente por até duas horas de ligação

O produto foi desenvolvido em Illinois, nos EUA, pelos inventores Bob Panos e Karl Lee, em versões disponíveis para iPhone 4 e 4S.
O produto foi desenvolvido em Illinois, nos EUA, pelos inventores Bob Panos e Karl Lee, em versões disponíveis para iPhone 4 e 4S.

Que atire a primeira pedra quem nunca ficou sem bateria no celular num momento importante – seja para fazer um contato de emergência, para tirar uma foto bombástica ou para publicar um post interessante nas redes sociais. Para evitar esta situação, um grupo de norte-americanos desenvolveu a Mipwr Dinamo, uma capinha que não só protege o smartphone, como também aproveita o movimento das mãos para dar a energia suficiente por até duas horas de ligação.

Além de ser um avanço para a tecnologia de dispositivos móveis, o projeto é sustentável, uma vez que utiliza uma fonte orgânica e renovável de energia – o movimento – sem precisar das tomadas e nem da queima de combustíveis fósseis.

Em setembro, o produto foi apresentado no Kickstarter, plataforma internacional de financiamento coletivo, e aguarda a arrecadação de fundos para ser comercializado em larga escala. Em sua parte interna, a capinha possui um sistema eletromagnético que alimenta uma bateria de 400 mA, e, ao ser movimentada por um minuto, produz energia suficiente para garantir uma ligação de até trinta segundos. O módulo também pode ser carregado por uma conexão USB.

O produto foi desenvolvido em Illinois, nos EUA, pelos inventores Bob Panos e Karl Lee, em versões disponíveis para iPhone 4 e 4S. Também foi criado um modelo para iPhone 5, que será comercializado a partir da data em que terminar a campanha de arrecadação de fundos no site internacional de financiamento coletivo, dia 19 de outubro.

Cada exemplar custa a partir de 25 dólares e pode ser adquirido online, através da própria plataforma. Quem comprar o acessório sustentável automaticamente estará financiando o projeto, que precisa correr contra o tempo para atingir a verba necessária: até o fechamento desta reportagem, o projeto contava com 95 apoiadores e uma verba de quase 3.500 dólares. O valor ainda é baixo, se comparado com os 78 mil dólares necessários para suprir os recursos da campanha, que se encerra em pouco mais de duas semanas.

Fonte: Painel Floresta