Os gráficos abaixo, baseados nos índices mensais de preços internacionais de commodities agrícolas alimentares divulgados pela FAO mostram dois momentos críticos enfrentados pelo mundo no abastecimento de grãos

Os gráficos abaixo, baseados nos índices mensais de preços internacionais de commodities agrícolas alimentares divulgados pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) mostram dois momentos críticos enfrentados pelo mundo no abastecimento de grãos.

Os primórdios do primeiro momento datam de meados de 2007, quando os preços dos grãos iniciaram verdadeira escalada só interrompida quase um ano depois, quando eclodiu a crise econômica. O detalhe, então, é que enquanto os preços dos grãos chegaram a aumentar, no espaço de um ano, quase 70%, o das carnes não chegou a 30%.

Opostamente ao que aconteceu em 2007, quatro anos depois os preços dos grãos apresentaram redução. Que cessou na passagem de 2011 para 2012 e que, repentinamente (de junho para julho de 2012) deu uma guinada para cima – um processo sem tendência de esgotamento no curto prazo.

Naturalmente, as causas agora são diferentes (quebra das safras de soja e de milho). Mas, como em 2008, o mundo está em meio a uma nova crise econômica. E as carnes – que, antes, acompanharam bem à distância a evolução de preços dos grãos – agora têm preços em queda porque as dificuldades econômicas derrubaram a demanda. Ou seja: o que foi difícil há quatro anos, agora tende a se tornar impossível: vencer os custos de produção.

Fonte: Agrolink