No Brasil, uma unidade da Granbio, sediada em São Miguel dos Campos, interior de Alagoas, também iniciou a produção

A nova fábrica está localizada no Estado de Kansas (EUA).
A nova fábrica está localizada no Estado de Kansas (EUA).

A Abengoa, empresa com forte presença em projetos sustentáveis, iniciou a produção de etanol celulósico nos Estados Unidos. Localizada em Hugoton, em Kansas, a fábrica tem capacidade para produzir mais 95 milhões de litros de etanol celulósico por ano, fabricados a partir da biomassa de diferentes culturas.

Pioneira na produção deste tipo de biocombustível em grandes escalas, a empresa lidera este segmento no país, outras fortes no setor têm encontrado dificuldades para produzir em escala comercial, como a Gevo e Kior.

O custo da planta ficou em US$ 500 milhões, construída em quase uma década e foi viabilizada através de empréstimo de US$ 132 milhões pelo Departamento de Energia americano e arrecadações, que totalizaram US$ 93 milhões. Finalizada em agosto, a produção inicial começou no final de setembro.

Em entrevista a Bloomberg, o secretário de energia americana, Ernest Moniz, enfatizou a importância deste segmento para a segurança energética americana. “Veremos esta próxima geração de biocombustíveis com papel muito maior para nós”. Para Moniz este apoio aos primeiros empreendedores possibilita redução dos custos produtivos, e assim, menores obstáculos para a entrada no mercado.“Os custos estão diminuindo, a instalação desta unidade contribui para isto, facilitando a comercialização”, explicou.

No Brasil, a produção de etanol de segunda geração, a partir de açúcares extraídos da celulose presente em biomassas como o bagaço e a palha da cana, enfim saiu do campo das utopias. O pioneirismo coube à Granbio – empresa de biotecnologia industrial controlada pela holding da família Gradin. A produção será no município de São Miguel dos Campos, interior do Estado de Alagoas.

Fonte: Jornal da Cana