Mais do que a participação expressiva dos grãos, o agronegócio contou com a contribuição de setores menos tradicionais no saldo positivo da balança comercial brasileira em maio

Categoria_Beneficiadas_2

Mais do que a participação expressiva dos grãos, o agronegócio contou com a contribuição de setores menos tradicionais no saldo positivo da balança comercial brasileira em maio. Um dos principais destaques foi a venda de derivados da madeira. Dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) indicam que a receita obtida com os embarques de laminados planos cresceu 102,4% na comparação com maio de 2014, chegando a US$ 179 milhões. Já as vendas de madeiras serradas subiram 34%, movimentando US$ 40 milhões.

A expansão também se confirma no acumulado anual das vendas. Nos cinco primeiros meses de 2015, as exportações de madeira serrada e laminados planos renderam, juntas, US$ 314 milhões ao Brasil. O crescimento é de 53,9% na comparação com o mesmo período do ano passado. O incremento é justificado por aumento na demanda de setores como a construção civil e a movelaria. Em termos de clientes, os Estados Unidos são o principal destino da madeira serrada brasileira. O aumento dos embarques para o México e para países asiáticos também tem contribuído para o bom desempenho das vendas externas do produto.

301 mil toneladas

de laminados planos foram exportados pelo Brasil no acumulado até maio. Volume supera em quase cinco vezes a movimentação feita no mesmo período do ano passado, e confirma aumento na demanda pelo produto brasileiro.

Fonte: Gazeta do Povo Online