Modelo silvipastoril anula emissões de gases com floresta eficiente

Sistema silvipastoril eficiente é a chave do projeto pecuária neutra
Sistema silvipastoril eficiente é a chave do projeto pecuária neutra

A Carne Neutra acaba de chegar ao mercado com o conceito da criação de gado em áreas de pastagem consorciadas com árvores, o sistema silvipastoril. As árvores plantadas no sistema são capazes de neutralizar uma das principais fontes de emissões do agronégocio, ou seja, a emissão do gás metano proveniente do processo de digestão do gado, também conhecido como “ruminação”.

Ao realizarem o resgate de CO2 da atmosfera, as árvores do sistema ajudam a diminuir o aquecimento glogal e seus impactos, com os extremos climáticos. Por outro lado, o sombreamento das árvores melhora o conforto térmico e bem estar do gado, tendo consequencia direta no aumento da produtividade dos animais.

A iniciativa esta sendo estimulada pelo Projeto Pecuária Neutra, criado para facilitar a troca de conhecimentos e a multiplicação dessa iniciativa para outros produtores de carne ou de leite. Para isso o, projeto já nasceu com uma uma rede de apoio de empresas, instituições, comitês ou associações que atuem no contexto do desenvolvimento sustentável.

“A Associação Brasileira de Brangus é parceira do Projeto Pecuária Neutra pois entende que a sustentabilidade se tornou um tema central na agenda da sociedade, nesse contexto, estimulamos a busca pelo desenvolvimento de uma pecuária mais sustentável para nosso quadro de associados”, disse Raul Victor Torrent, presidente da Associação Brasileira de Brangus.

“O Comitê de Bacias do Rio Caratinga, sub bacia do Rio Doce, foi atingido no desastre ambiental da barragem da Samarco, na cidade de Mariana-MG. Apoiamos o Sistema Silvipastoril como uma das estratégias para recuperar a bacia hidrográfica, pois ele concilia aumento da renda com vários serviços ambientais”, informou Ronevon Huebra, presidente do CBH-Caratinga/MG.

Fonte: Painel Florestal