Pela primeira vez um produtor rural vai coordenar os trabalhos na Câmara. Walter Rezende também preside a Comissão Nacional de Silvicultura e Agrossilvicultura da CNA

walter-rezende

Para Walter Rezende, novo presidente da Câmara Setorial de Florestas Plantas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), três palavras explicam as diretrizes de seu mandato:  mercado, logística e produtividade. “Temos que orientar os produtores rurais a plantarem com responsabilidade e manejar suas florestas de acordo com o mercado florestal. Dessa forma, evitaremos um crescimento desordenado e um excedente de madeira”, explica.

A nomeação de Walter Rezende foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta segunda-feira, dia 29/02. O novo presidente é o primeiro produtor rural a ocupar o cargo. Rezende é silvicultor e produz madeira tratada e cavaco de madeira para energia. Segundo informa Rezende, uma das principais ações frente à Câmara Setorial será buscar uma solução mais imediata para o setor, a fim de fomentar o mercado, criando um elo entre todos os segmentos da cadeia econômica, desde o produtor ate a indústria. Além de orientar os produtores sobre políticas públicas e o Plano Nacional de Desenvolvimento de Florestas Plantadas.

O presidente, que também responde pela Comissão Nacional de Silvicultura e Agrossilvicultura da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), pretende criar uma pauta conjunta com a participação de todo o segmento – produtores, indústrias, cooperativas, associações e entidades que representam o setor, entre elas a CNA, como forma de levantar as principais necessidades e reivindicações. “Só trabalhando em conjunto vamos solucionar os entraves da cadeia. Hoje, um dos principais é a questão do excedente de madeira em algumas regiões, causando queda de preço. Outro ponto é o aumento da competitividade dos produtos não madeireiros, com a abertura de mercados”, comenta.

Dificuldades – Estudos indicam que os produtores ainda encontram dificuldades no licenciamento ambiental, infraestrutura e logística, restrição de compra de terras por estrangeiros, disponibilidade e qualidade de mão de obra, terceirização da mão de obra, desburocratização de registro de defensivos para florestas plantadas e a melhoria de políticas públicas para aumentar a participação da biomassa florestal na matriz energética brasileira.

Currículo – Walter Rezende é advogado, empresário e silvicultor. Atualmente ele é diretor e Presidente da Comissão de Silvicultura da Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Goiás (FAEG), e desde 2015 preside a Comissão Nacional de Silvicultura e Agrossilvicultura da CNA.

Fonte: Canal do Produtor