Com safra recorde e preços bons, saldo comercial e movimentação da economia devem subir

agronegocio-2013O agro deve contribuir ainda mais com a economia brasileira em 2013, mesmo depois de um ano excepcional em 2012. O superávit do setor foi de US$ 79,4 bilhões, mais de quatro vezes acima do que o saldo comercial total do País.

O Produto Interno Bruto (PIB) do agro ainda não foi fechado, mas no terceiro trimestre de 2012 (dado mais recente disponível) o PIB da agropecuária teve o maior crescimento desde que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) começou a calculá-lo, em 1995.

A quebra da safra americana de soja e milho ajudou e fez disparar os preços internacionais dos grãos, despejando mais recursos nas economias regionais Brasil adentro. Colheu-se uma safra recorde de milho, que resultou em exportações igualmente recordes do grão.

Agora, em 2013, o Brasil deve colher a maior safra de soja do mundo, por conta da queda da produção dos Estados Unidos, e deve ampliar ainda mais o resultado da balança comercial. “A tendência é de um ano bom para os produtores, com geração de excedentes exportáveis crescentes, principalmente em grãos e açúcar, e a garantia absoluta de abastecimento interno”, avalia o coordenador de Agronegócios da FGV e ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues.

O clima tem favorecido a produção de grãos em todo o País, diferentemente do que ocorreu no ano passado, com secas que prejudicaram a produção no Sul e no Nordeste. “Os preços de soja e milho estão acima da média histórica e o Brasil vai produzir muito, o que empurra para cima outros cereais, como trigo e arroz”, diz Rodrigues. A safra total de grãos deve ficar em 183,5 milhões de toneladas, recorde histórico e 9,7% acima da colheita de 2012, segundo a consultoria Agroconsult.

O resultado será o ano de maior rentabilidade para os produtores de grãos na história, segundo os cálculos da Agroconsult. A consultoria inicia no fim de janeiro o Rally da Safra, uma expedição que avalia as condições das lavouras e estima a produção nacional de soja e milho. Mas antes mesmo de ir a campo, a projeção é de recorde na safra de soja, principal produto agropecuário exportado pelo Brasil.

Com produção e rentabilidade recordes, bilhões de reais serão despejados nas economias das regiões produtoras. A Agroconsult estima que cada hectare de soja no Mato Grosso dará um lucro bruto ao produtor de R$ 1.346, superando o recorde de R$ 1.124 registrado no ciclo passado. “Como mais de 70% da soja do Mato Grosso já está comercializada antes mesmo da colheita, a rentabilidade está garantida mesmo se os preços caírem agora”, diz o sócio diretor da Agronconsult, André Pessoa. No Paraná, a margem bruta deverá ser de R$ 1.457.

Será a sétima safra consecutiva com margens no azul nos dois principais Estados agrícolas do País, na média. Os números não levam em conta o custo da terra (arrendamento) e a depreciação dos bens das fazendas.

Fonte: Portal do Agronegócio