Finalidade é desenvolver um sistema de manejo que reduza despesas.

Pau mulato rende madeira para telhados e móveis (Foto: G1).
Pau mulato rende madeira para telhados e móveis (Foto: G1).

O pau mulato, árvore da Amazônia explorada para a confecção de telhados e móveis, representa 20% dos lucros em venda de madeira no Amapá, segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que realiza pesquisas para a regeneração da espécie. A expectativa é trabalhar com cerca de 50 mil mudas, por hectare, em áreas de roça abandonada.

De acordo com a Embrapa, o trabalho começou em 2010, com o objetivo de desenvolver um sistema de manejo da regeneração natural da árvore e que reduza as despesas para os produtores. Segundo os pesquisadores, o manejo da regeneração natural do pau mulato rende uma madeira mais larga, indicada para produzir energia, postes e construções rústicas e na serraria. Com essa maneira, o produtor não precisa produzir e plantar as mudas. Assim, as despesas no plantio serão reduzidas.

O pesquisador Marcelino Carneiro Guedes, coordenador do Projeto Florestam, disse que a ideia da pesquisa é valorizar a abundância da espécie em áreas abandonadas. “Não queremos comprometer a qualidade da madeira, pelo fato do rápido crescimento dessa árvore, pois o tronco pode chegar a até 30 metros de altura. Por isso a área de manejo deve ser em roças abandonadas”, disse.

A venda de madeira arrecada cerca de R$ 16 milhões para o Amapá. Segundo a empresa, a pesquisa de regeneração do pau mulato surgiu após um decreto do governo do estado que autoriza a redução do diâmetro mínimo de exploração da espécie, com corte e remoção parcial da árvore. O procedimento era feito de maneira total e, com isso, a regeneração era comprometida.

Fonte: G1