Seagro MaranhãoÉpoca exige prevenção contra verminoses, programação da alimentação e medidas de manejo adequadas

Kamila Pitombeira
18/11/2011

O período chuvoso, época de alta umidade no Estado do Tocantins, traz benefícios como o aumento da produção leiteira, que chega a 70%. É o tempo propício para a programação da alimentação. No entanto, junto com a possibilidade de investir nas pastagens, a época traz alguns problemas relacionados à sanidade dos animais. Entre os mais comuns, estão os problemas respiratórios e as verminoses. Por isso, é preciso que o produtor faça um tratamento preventivo e adote as medidas de manejo adequadas.

Segundo Cláudio Saião, coordenador de desenvolvimento animal da Seagro (Secretaria da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário), na pecuária de corte, é preciso ter cuidado com bezerros, pois nesse período, surgem problemas relacionados a ácaros, sarnas e fungos.

— Na criação de bezerros de leite, ocorrem enfermidades como pneumonia e gastroenterites. Já na produção de ovinos e caprinos, é preciso saber o horário correto para liberar os animais nas pastagens, pois com a alta umidade, podem ocorrer verminoses — afirma o coordenador.

No Tocantins, Saião conta que os maiores problemas estão relacionados ao sistema respiratório e digestivo. Com relação aos equinos, trabalhos realizados por universidades recomendam a diversificação de pastagens, o que aumenta as fontes de forragens como as braqueárias. Assim, é possível diminuir os índices de mortalidade nas épocas de água.

— Os maiores cuidados devem estar relacionados às verminoses e ao controle estratégico de carrapatos e moscas do chifre. Portanto, todos são fatores relacionados ao controle de endo e ectoparasitas, além da questão da umidade, que provoca problemas respiratórios — diz.

De acordo com ele, todo produtor precisa realizar um planejamento, o que envolve a questão de manejo, sanidade e genética. No entanto, essa época é propícia para planejar as pastagens. Então, é interessante que ele faça uma análise de solo, verificando os índices de calcário, de adubo, tipos de solo e sementes que podem ser usadas.

— No caso da bovinocultura leiteira, a produção de leite chega a crescer até 70% nessa época de águas, especificamente no Estado do Tocantins. Já na época de seca, ela cai muito. Então, o que precisa ser feito é uma boa programação de alimentos. Pode ser um plantio de cana para oferecer na época das águas, o plantio de milho para silagem, ou ainda o plantio de mandioca para oferecer aos animais — orienta o entrevistado.

Já em relação às aves, Saião conta que demandam um controle maior por causa da umidade. No entanto, esse controle costuma ser bem realizado pelos granjeiros. Já o alimento, também não precisa de muitos cuidados, já que elas costumam se alimentar de rações concentradas.

Para mais informações, basta entrar em contato com a Seagro através do link http://www.seagro.to.gov.br/.

Fonte: www.diadecampo.com.br