O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro recuou 0,11% em janeiro de 2012, segundo estudo realizado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP, com o apoio financeiro da CNA

O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro recuou 0,11% em janeiro de 2012, segundo estudo realizado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP, com o apoio financeiro da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Esse desempenho é oposto ao observado no primeiro mês de 2011, quando o setor cresceu 0,72%.

O desempenho negativo em janeiro refletiu, em especial, a performance ruim do setor agrícola, que sofreu queda 0,21%. No início de 2011, beneficiado pela alta dos preços, o setor cresceu 0,66%. Entre os segmentos agrícolas, a maior queda ocorreu na indústria: taxa de -0,47%, seguida pela distribuição (-0,25%). O segmento primário também registrou queda, mas bem ligeira: -0,04%. O segmento de insumos foi o único a crescer (0,43%) mantendo, com isso, sua trajetória de alta já observada desde 2011.

O agronegócio pecuário apresentou resultado pouco expressivo em janeiro, mas positivo: taxa de +0,13%. Esse cenário é bem mais modesto que o verificado em janeiro de 2011, quando o segmento cresceu 0,86%. Como no setor agrícola, os segmentos industrial e da distribuição registraram queda mensal, sendo, na pecuária, de 0,30% e 0,02%, respectivamente.

Contrabalançando tal desempenho, os segmentos Insumos e Básico cresceram 0,30% e 0,32%, respectivamente.

Seguindo a trajetória de expansão que marcou 2011, o segmento de insumos agropecuários cresceu 0,38% em janeiro. Os insumos para pecuária tiveram expansão de 0,30% e, para a agricultura, de 0,43%. No caso dos fertilizantes, a alta dos preços observada ao longo do ano passado se estende para 2012.

Fonte: DCI