No período de 4 a 6 de maio realizou-se em Newport Beach, na Califórnia, Estados Unidos, a 110th AWPA Annual Meeting

Preservação de madeira no mundo. (Foto: madeireirapinhal.com.br)
Preservação de madeira no mundo. (Foto: madeireirapinhal.com.br)

Segundo os organizadores, a AWPA – American Wood Protection Association – reuniu este ano 226 congressistas de diversos países assim distribuídos: Estados Unidos (197); Canadá (12); Alemanha (4); Nova Zelândia, Austrália e Bélgica (2 de cada país); Brasil, Chile, México, Suécia, França, Dinamarca e Noruega (1 de cada país). O representante brasileiro foi Dulcídio Ramires Macedo, diretor industrial da Montana Química S.A.

Segundo Macedo, o evento contou também com a participação dos representantes de países europeus como Bélgica, Suécia, França, Dinamarca e Noruega, estimulada pela proximidade da realização do evento do IRG-WP, International Resarch Group-Wood Preservation em St. George, Utah. “Com intensa programação, incluindo dois auditórios com palestras simultâneas, minha opção no primeiro dia foi pelos temas técnicos e, no segundo, pelo que dizia respeito a mercado e a oportunidades de networking. Adquirimos o ‘Book of Standards 2014’ da AWPA, publicação fundamental para continuramos sempre atualizados em preservação de madeiras”

Palestras em destaque – Entre as diversas palestras de que participou, Macedo fez uma resenha daquelas que considerou mais relevantes para compartilhar com preservadores brasileiros. Confira.

“Uma das palestras neste evento, sobre o tema ‘Passado, presente e futuro da preservação de madeiras no mundo’, também nos convida a refletir sobre nosso futuro no Brasil. Detalha a preservação de madeira, não só nos Estados Unidos, mas globalmente em pesquisa e desenvolvimento, universidades, associações, incentivos aos novos projetos, mercado e concorrência com produtos alternativos à madeira. Comenta ainda sobre as novas gerações. Hoje, a maioria dos jovens prefere estudar TI, informática, robótica e eletrônica, em vez de química e engenharia florestal, ficando outras profissões relegadas ao segundo plano. Soluções existem. Por exemplo, incentivar universidades e programas governamentais com projetos mais ambiciosos e prêmios, além de reforçar parcerias entre a academia e as empresas. Iniciativas como estas poderão atrair novos talentos para a preservação de madeira em áreas como química, arquitetura, engenharias civil e florestal, agronomia e biologia, entre outras.”

“Europeus informam que estão elaborando parâmetros para revisão e criação de normas para os ingredientes ativos utilizados na preservação de madeiras. Sugerem o aparecimento de novos biocidas diferentes dos tradicionais pela atividade biológica.
Também foi levantada a possibilidade de reavaliar a utilização de preservativos de madeira com restrições, ou proibidos mas em uso, como no caso do CCA. Consideraram ainda que o CCA, utilizado comercialmente em diversos países, continua sendo produto de referência no quesito eficiência em todos os estudos comparativos com novos preservativos, inclusive no caso europeu. Finalizando, foi apresentada breve descrição da estrutura do FCBA Technological Institute, em Bordeaux, França.”

“Da Environmental Protection Agency (EPA) dos Estados Unidos pudemos conhecer um pouco sobre sua estrutura e posição, relativas ao registro da preservação de madeiras naquele país. Sentimos que a EPA não quer proibir ou restringir qualquer produto, mas definir exatamente os riscos envolvidos e estabelecer diretrizes de uso. A revalidação proposta para biocidas (EPA Regulatory Update) é feita a cada 15 anos.”

“Na Califórnia, estado norte-americano com forte apelo de sustentabilidade, o tratamento de madeiras ganha força principalmente com retardantes de chama. Propostas para utilização em madeira “engenheirada” colada (MLC), construções do tipo wood frame, MDF e OSB. A Montana está totalmente alinhada com essa tendência internacional de produtos inovadores.”

“Ainda nesta linha de pesquisa, os retardantes de chamas nunca tiveram um número tão grande de trabalhos na AWPA. O fato pode ter sido estimulado pela ocorrência recente de grandes incêndios na própria Califórnia. Recomendações e normas estão sendo discutidas para adequar produtos e sistemas construtivos, no sentido de evitar prejuízos em vidas e propriedades causados por incêndios.”

“Novos métodos para determinação da penetração de preservativos inorgânicos (CCA) estão sendo propostos. Alguns são colorimétricos e inovadores, com emprego de novos reagentes. Merece destaque um equipamento que utiliza luz de Led combinada com softwares que calculam a porcentagem de alburno que foi tratada. Também foi discutida a interferência da densidade da madeira e o grau de penetração no desempenho final da madeira tratada.”

“O Brasil esteve bem representado na sessão de pôsteres do evento, com um trabalho que teve participação da Universidade Federal de Vitória, no Espírito Santo. Seu título em inglês é ‘Natural Resistance of Fast Growth Eucalyptus Clones to Subterranean Termites Under Laboratory Conditions’. Outro trabalho de bom nível técnico versou sobre decks de madeira, indicando como o corte e o perfil da superfície podem trazer benefícios evitando rachaduras e criando propriedades antiderrapantes. Durante todo o evento predominou uma atmosfera muito produtiva, sem discussões contra ou favor deste ou daquele produto. Contudo, trabalhos técnicos de bom nível e boas propostas para o futuro foram apresentados.”

Fonte: CI Florestas