Técnica se resume a práticas de manejo corretas para oferecer às vacas o melhor alimento possível

A produção de leite bovino está intimamente ligada à alimentação adequada dos animais. Uma pastagem de qualidade e bem conduzida pode triplicar a produção. É o que promete a técnica de produção intensiva de leite a pasto. A técnica se resume ao manejo correto das pastagens e do processo de pastejo. Como a base da alimentação do rebanho é a forragem, o que o produtor precisa fazer é oferecer às vacas o melhor alimento possível, o que é conseguido com práticas de manejo corretas.

— A questão principal para o sucesso dos sistemas de produção de leite é a produção de uma forragem de alta qualidade. Existem diversos casos onde o produtor consegue índices de produtividade acima de 30 mil litros de leite por hectare — afirma Alexandre Pedroso, pesquisador da Embrapa Pecuária Sudeste.

O sistema abrange, basicamente, o uso mais intensivo possível dos recursos disponíveis. Segundo o pesquisador, o produtor que se dispõe a trabalhar dentro do conceito de oferecer uma forragem de alta qualidade através de um manejo intensivo correto da pastagem, tem uma grande chance de sucesso.

— Esse tipo de produção também pode ser adotado por pequenos produtores, pois o conceito não muda. Na verdade, fazer um manejo intensificado em áreas grandes é mais difícil e complexo, ou seja, quanto menor é a propriedade, menor é a complexidade para o manejo do sistema. Portanto, esse é um sistema mais indicado para propriedades de médio e pequeno porte — diz o entrevistado.

Já o investimento de capital é bastante variável. Pedroso explica que, se considerarmos a necessidade de formar uma pastagem do zero, os números podem variar entre R$1.500 e R$3.500 por hectare.

— Em sistemas intensivos de produção, a alimentação pode representar mais de 50% do custo total de produção. Quando o produtor passa a oferecer uma alimentação de qualidade aos animais, ele pode chegar a dobrar ou triplicar a produção — conta.

Para ele, a chave do processo nesse tipo de sistema é a produção da forragem de alta qualidade. Isso significa conduzir corretamente a planta com a qual se trabalha para que as vacas possam comer a forragem no ponto ideal.

— Além disso, a fertilização nitrogenada também pode ter um papel de destaque na composição da forragem. Já se o produtor ainda precisa passar pelo processo de formação da pastagem, é necessário que ele obtenha a orientação de um técnico especializado — orienta o pesquisador.

Fonte: Portal Dia de Campo