Para atender aumento da demanda, volume produzido terá que saltar de 60 milhões para 96 milhões de toneladas

Para atender a crescente demanda por proteína, impulsionada pelo aumento da população mundial, que deverá chegar a aproximadamente nove bilhões de pessoas em 2050 – em 2011 chegou a sete bi -, a produção de carne bovina terá que crescer cerca de 60%. Hoje, o mundo produz algo em torno de 60 milhões de toneladas do produto e este volume terá que atingir 96 milhões.

Já o volume produzido de todas as carnes, especialmente (bovina, suína e frango) deverá aumentar de 200 milhões de toneladas para 470 milhões. Foi o que destacou o presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), Eduardo Biagi, em coletiva de imprensa, realizada hoje (17) na capital paulista, para apresentação da Expozebu 2012.

Com base nestes números da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), Biagi disse que a demanda será puxada, principalmente pelos países da Ásia e África. Segundo ele, o Brasil, que produz atualmente cerca de nove milhões de toneladas de carne bovina, poderá dobrar a produção nos próximos vinte anos. Em 2011, aproximadamente 16% da carne bovina produzida no mundo foi brasileira.

De acordo com Biagi, genética, recuperação e elevação do padrão tecnológico das pastagens são e serão os pilares da evolução da produtividade da pecuária nacional. Além disso, o presidente da ABCZ ressaltou que a pecuária brasileira, baseada no modelo extensivo – essencialmente marcado pelo boi que se alimenta de capim -, de fato, ocupa mais área, mas tem menos impacto ambiental do que o sistema de confinamento, que no cálculo geral precisa computar custos “ambientais” relacionados à fabricação de rações.

Fonte: Sou Agro