Por muito tempo, a atividade de cultivo de árvores (silvicultura) esteve justamente inserida no rol de atividades potencialmente poluidoras e utilizadoras de recursos ambientais de órgãos oficiais brasileiros. Como atividade econômica que contribui grandemente para a sustentabilidade, mitigando emissões de gases de efeito estufa, a silvicultura é essencial para o desenvolvimento sustentável de uma nação em desenvolvimento como o Brasil.

Por isso, a reivindicação do setor florestal nacional de que a silvicultura fosse retirada do rol de atividades potencialmente poluidoras está finalmente sendo atendida graças ao Projeto de Lei 244/15, de autoria do senador Álvaro Dias (PV-PR).

De acordo com comunicado da Ibá (Indústria Brasileira de Árvores), foi aprovado na CMA (Comissão de Meio Ambiente), no último dia 05, o parecer do relator senador Acir Gurgacz (PDT/RO), favorável à matéria com emenda. Anteriormente em fase tentativa, o PL pode agora seguir para a Câmara.

Segundo o relator, a silvicultura representa uma das melhores formas de uso econômico da terra as áreas já desmatadas e, desse modo, deve ser incentivada e fomentada. Assim, concordou com o mérito do projeto, e apresentou emenda a fim de excluir também a exploração de recursos aquáticos vivos e a atividade de criação e exploração econômica de fauna exótica do rol de atividades potencialmente poluidoras e utilizadoras de recursos naturais.

Fonte: B. Forest, Junho 2018 Edição 45