É mais um capítulo da série Como Plantar Eucalipto, criada pela Painel Florestal

Foto: Painel Florestal
Foto: Painel Florestal

Antes de começarmos a falar do uso e outorga da água, cabe esclarecermos um dos mitos do eucalipto disseminado ao longo dos anos por falta de informação. O de que o eucalipto seca o solo. Isto é uma inverdade segundo os pesquisadores. Comparações entre espécies de eucalipto com outras essências florestais mostram que os plantios no Brasil consomem a mesma quantidade de água que as florestas nativas. Sua eficiência no aproveitamento da água garante maior produtividade quando comparado a outras culturas agrícolas. O consumo maior ocorre na época de chuvas, quando o conteúdo de água no solo é elevado e suficiente para suprir os mananciais hídricos. Mas nos períodos em que o solo está mais seco, o consumo devido à perda de água pela transpiração é bastante reduzido. A folhagem ou copa do eucalipto retém menos água de chuva do que as árvores das florestas tropicais, que possuem copas mais amplas. Por isso, nos plantios de Eucalipto, mais água de chuva vai direto para o solo enquanto que na floresta tropical nativa a água retida nas copas das árvores evapora-se diretamente para a atmosfera. Estudos comprovam que a água disponível para o crescimento do eucalipto é proveniente, sobretudo, da camada superficial do solo. Normalmente, suas raízes não ultrapassam 2,5 metros de profundidade e não conseguem chegar aos lençóis freáticos, quase sempre localizados em profundidades bem maiores. Mas quando o eucalipto precisa de mais água? Em duas etapas. Quando está no viveiro…. e logo ao ser plantado no solo….. Geralmente, mesmo com o uso de gel, as empresas especializadas fazem 3 aguadas. Uma ao colocar a planta no solo, outra no terceiro dia e outra no sexto dia. Logicamente, a irrigação depende da muda, do tipo de solo e da época do ano. O melhor é sempre consultar um especialista. Mas o produtor pode usar a água à vontade na sua propriedade? Por ser um recurso natural escasso e um bem público, a utilização da água existente no solo brasileiro é regida por leis e normas da Agência Nacional de Águas, a ANA. Para se usar esta água é necessário um instrumento de autorização denominado outorga. Se o recurso hídrico for da União o pedido tem que ser feito diretamente à ANA, se o recurso for do estado diretamente no órgão competente do seu estado. Para maiores informações basta acessar o site da Agência Nacional de Águas, www.ana.gov.br ou enviar para o correio no seguinte endereço: Agência Nacional de Águas, Superintendência de Outorga e Fiscalização, setor Policial, área 5, Quadra 3, bloco L, CEP 70.610-200, Brasília – Distrito Federal.

Fonte: Painel Florestal