As liberações de recursos para financiar projetos do Programa ABC (Agricultura de Baixo Carbono) tiveram um crescimento de 199% no período de julho de 2011 a maio de 2012, segundo dados do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O volume de recursos saltou de R$ 368 milhões, de julho de 2010 a maio de 2011, para R$ 1,1 bilhão, de julho de 2011 a maio de 2012. A informação foi divulgada pelo presidente da instituição financeira, Luciano Coutinho, durante palestra de abertura do 11º Congresso Brasileiro do Agronegócio, promovido pela Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), nessa segunda-feira, dia 6, em São Paulo.

Além dos recursos para o Programa ABC, houve crescimento expressivo também em outras linhas de crédito. Segundo Coutinho, os financiamentos para o Programa Moderagro – Programa de Modernização da Agricultura e Conservação de Recursos Naturais saltou de R$ 289 milhões de julho de 2010 a maio de 2011, para um nível de R$ 452 milhões no período de julho de 2011 a maio deste ano, um crescimento de 56,4%.

“O aumento nos recursos liberados pelo banco representam a confirmação do apoio e do compromisso do BNDES com o agronegócio brasileiro”, afirmou o presidente da instituição financeira. Coutinho também destacou que o BNDES concentra esforços no financiamento voltado à tecnologia aplicada na área rural. “No caso específico do etanol, ele requer um esforço grande no sentido de investir em P&D, inovação e aumento da produtividade temos de caminhar em direção do etanol de terceira geração”, comentou.

Além do etanol de terceira geração, Coutinho também disse que o agronegócio brasileiro, apoiado pelo BNDES e pelo governo, tem de dedicar atenção especial a aquicultura e a cadeia dos lácteos.