O compromisso foi assumido esta semana durante o Fórum Internacional “A Floresta e o Homem”

As florestas da Rússia também passam por invernos rigorosos
As florestas da Rússia também passam por invernos rigorosos

Disso tudo se falou no fórum “A Floresta e o Homem” em Moscou esta semana. A Rússia é uma potência florestal, as florestas russas desempenham um papel fulcral na biosfera, têm enorme importância para a conservação do ecossistema mundial.

Ao mesmo tempo, a Rússia é um dos maiores exportadores de madeira. A travagem da sua venda ilegal é um problema sério. O combate ao abate ilegal de florestas no mundo é realizado no quadro do processo intergovernamental FLEG (Forest Law Enforcement and Governance): emprego da lei e gestão no setor florestal. No formato da FLEG, diferentes países trabalham para eliminar a ameaça às florestas que tem origem no corte e comércio ilegais de madeiras, para lutar contra a corrupção e a caça furtiva, assinala Vladimir Dmitriev, representante oficial da Agência Federal da Floresta:

“No quadro desse processo, os países da União Europeia elaboraram o seu regulamento europeu, que exige uma confirmação da legalidade da parte dos vendedores e compradores de que utilizam, no negócio florestal, apenas madeira de origem legal. O regulamento europeu funciona, embora, por enquanto, haja dificuldades aqui. Pelo seu lado, a Rússia aprovou a lei federal nº 415. Esta regula questões de controle e comércio de madeiras, ou seja, o comércio de madeira em bruto”.

Já entrou em vigor a norma sobre a marcação da madeira e todos os dados sobre o comércio de madeiras serão introduzidos num sistema de informação único. Isso permitirá reduzir os cortes e exportação ilegais de toros. O sistema informativo único irá calcular automaticamente e refletir a transparência de todas as transações no mercado de derivados da madeira, a começar pelo corte de árvores e a terminar na venda da madeira, assinala Vladimir Dmitriev:

“Segundo os peritos internacionais, nomeadamente do Banco Mundial, a lei federal contém todas as exigências sobre o emprego e cumprimento de todas as normas legislativas. Ela permite, ao nível da legislação florestal, realizar os compromissos assumidos pelo país no quadro do processo FLEG. No que respeita à quantidade de informação que a Rússia apresenta no quadro de relatórios, ela é um dos membros com maior êxito deste processo”.

Nos últimos anos, em diferentes regiões da Rússia abrem empresas para a produção de combustível biológico. Incluindo grãos de madeira para aquecimento, muito populares na Dinamarca, Áustria e Suécia. Eles são uma alternativa digna a tipos de combustível como o petróleo, carvão e lenha. Por exemplo, isto permite, na energia municipal, pôr as caldeiras que trabalham a gás e petróleo a funcionaram a briquetes e a outros tipos de combustível biológico.

Porém, a Rússia não fabrica todo o tipo de maquinaria necessária à produção de combustível biológico. Por isso, não constituiu surpresa o fato de no fórum “A Floresta e o Homem” terem participado muitas empresas estrangeiras especializadas na sua produção.

As empresas ocidentais vêem grandes perspectivas para a venda à Rússia de máquinas e tecnologias. Aqui, os principais produtores são a Alemanha e a Dinamarca. As companhias de consultoria preveem o aumento do consumo de produtos florestais em geral e a Rússia, neste plano, é interessante como potência florestal.

Fonte: Portuguese