O saldo da balança comercial do agronegócio cresceu 3,1%, para US$ 67,3 bilhões, no acumulado de janeiro a outubro de 2012, na comparação com igual período de 2011

O saldo da balança comercial do agronegócio cresceu 3,1%, para US$ 67,3 bilhões, no acumulado de janeiro a outubro de 2012, na comparação com igual período de 2011. Análise da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) mostra que os embarques da maioria dos produtos agropecuários aumentaram neste ano, apesar do panorama mundial atribulado pelo desaquecimento da demanda e pela crise financeira.

Os dados referentes ao mês de outubro refletem esse cenário de incertezas. Os preços da maioria das commodities exportadas pelo Brasil recuaram no mês, influenciados, também, pelo avanço da colheita das lavouras do Hemisfério Norte e pela postura mais cautelosa dos investidores. Os preços médios de exportação de carne bovina recuaram 7,7% no mês, para US$ 4.654 por tonelada. No caso do café em grãos, a queda foi de 25,8%.

Mesmo diante desse novo patamar de preços, as exportações do agronegócio somaram valor recorde de US$ 9,6 bilhões em outubro, crescimento de 11,8% na comparação com o mesmo mês de 2011. De acordo com a CNA, as receitas foram alavancadas pelo volume embarcado de milho e dos produtos do complexo sucroalcooleiro. As exportações cresceram 141,1% e 60,1%, respectivamente, no mês.

SOJA – No acumulado do ano, as exportações do complexo soja geraram US$ 24,6 bilhões em divisas, resultado 15,8% superior ao obtido em igual de 2011. O incremento das quantidades exportadas no período, 9,2%, se deve aos problemas climáticos ocorridos nos Estados Unidos, o que elevou a procura pelos grãos brasileiros.

Na avaliação da CNA, os preços da soja no mercado internacional devem recuar em função do avanço da colheita da safra norte-americana e das perspectivas de nova safra recorde na América do Sul.

Acesse a íntegra dos dados da balança comercial brasileira:

– Balança Comercial

Fonte: Canal do Produtor