A Semana Florestal Brasileira encerrou com recorde de participação e se configura como o maior evento do setor de florestas plantadas na América Latina

semana-florestalO evento, que contou com seminários técnicos e a maior feira florestal dinâmica das Américas, bateu recorde de participantes, superando as expectativas dos organizadores e da comissão técnica.

Um dos eventos técnicos, o 3º Encontro Brasileiro de Silvicultura, teve coordenação técnica da Embrapa Florestas (Colombo/PR). Com quatro blocos temáticos, o evento contou com a participação de cerca de 700 pessoas, quando a expectativa era receber 400 participantes. “Isso nos mostra que o setor florestal é ávido por conhecer inovações tecnológicas e trocar experiências, e a programação do evento estava alinhada com esta expectativa com os temas mais demandados pelo segmento de plantações florestais e palestrantes altamente qualificados”, pondera Edilson Batista de Oliveira, pesquisador da Embrapa Florestas e coordenador técnico do evento. Segundo Rafael De La Torre, da ArborGen, empresa americana de biotecnologia florestal e que atua também no Brasil, “a qualidade das palestras foi admirável; todos os apresentadores deixaram uma mensagem para levar pra casa, e a organização foi impecável. O evento foi uma experiência única, sem paralelo no mundo florestal. Os contatos pessoais e profissionais feitos durante estes eventos darão os seus frutos logo”.

O primeiro bloco tratou de atualidades e perspectivas na mecanização e automação na silvicultura e deixou claro que a silvicultura de precisão está cada vez mais presente nas empresas de base florestal. O segundo bloco trouxe para discussão as bases para tomada de decisões na silvicultura e contou com a participação do pesquisador Dario Grattapaglia, da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, com a palestra “Melhoramento e genômica no setor produtivo de base florestal”. O terceiro bloco tratou da manutenção de florestas e manejo integrado de pragas, com palestras do Chefe Geral e pesquisador da Embrapa Florestas, Edson Tadeu Iede, sobre pragas de pínus, e do pesquisador da parceria Embrapa/Epagri, Wilson Reis Filho, sobre formigas cortadeiras em plantios florestais.

O quarto bloco foi moderado pelo Chefe do Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa, Dr. Celso Moretti. Esta parte do evento contou com 1.200 participantes, pois reuniu o 3º Encontro Brasileiro de Silvicultura e o XVII Seminário de Atualização sobre Sistemas de Colheita de Madeira e Transporte Florestal, discutindo a cadeia produtiva da madeira. Dr. Moretti ressaltou a importância deste setor da economia brasileira, responsável por 4,5% do PIB do país, e destacou o expressivo número de projetos e volume de recursos que a Embrapa investe em pesquisas com plantações florestais. Destacou, ainda, que a grande maioria das Unidades da Embrapa têm envolvimento com o segmento florestal, tanto com plantios puros como em sistemas integrados (iLPF), além de temas básicos ligados a questões ambientais, solos e biotecnologia. Um dos palestrantes deste bloco foi o pesquisador e Chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Florestas, Vanderley Porfírio-da-Silva, que falou sobre iLPF na cadeia produtiva da madeira.

Após os eventos técnicos começou a Expoforest/Feira Florestal Brasileira. A Expoforest 2014 bateu recordes de visitação nos três dias do evento. Ao todo, recebeu 25.107 visitantes, o dobro da edição anterior, que aconteceu em 2011. Representantes de todos os estados do Brasil estiveram presentes, além de caravanas da África do Sul, Alemanha, Argentina, Áustria, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Congo, Equador, Espanha, EUA, Finlândia, Hungria, Índia, Itália, Japão, Paraguai, Peru, Portugal, República Checa, Senegal, Suécia, Suíça, Uruguai, Venezuela.

Mais de R$ 152 milhões foram negociados em máquinas e equipamentos e diversas negociações foram iniciadas. “Estes números comprovam que a cada edição a Expoforest se consolida como um evento que propicia a realização de bons negócios. Sem contar que mostra a força e crescimento do setor de florestas plantadas”, avalia o diretor de negócios da Expoforest, Rafael A. Malinovski, da Malinovski Florestal, empresa organizadora dos eventos.

A Feira Florestal Brasileira contou com 208 expositores que apresentaram suas máquinas e equipamentos de forma dinâmica e estática. Em uma área de 130 hectares de floresta plantada, os participantes seguiram por uma trilha de quatro quilômetros onde puderam observar, na prática e in loco, diversas etapas de operações florestais realizadas com tecnologia de ponta. “Para nós, da Embrapa Florestas, foi uma satisfação estarmos envolvidos nesse grande evento, que reuniu não só tecnologia de ponta mas também quem está no dia a dia do setor florestal”, afirma o Chefe Geral da Embrapa Florestas, Edson Tadeu Iede. “É uma forma de prospectarmos novos desafios e avaliar como a pesquisa está atendendo as demandas do setor produtivo”, finaliza.

A próxima edição da Expoforest está programada para 2017 e novamente contará com a o envolvimento da Embrapa Florestas.

Fonte: Portal do Agronegócio