O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou a alocação de R$ 900 milhões para financiamento de capital de giro à indústria de café solúvel e de torrefação do grão para o Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé)

estoque de cafeO Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou a alocação de R$ 900 milhões para financiamento de capital de giro à indústria de café solúvel e de torrefação do grão para o Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé).

A linha para o fundo de apoio ao setor terá taxa de juros de 7,5% ao ano e entra em vigor a partir de 1º de julho.

O Conselho detalhou que a distribuição será de R$ 200 milhões para as indústrias de café solúvel, R$ 300 milhões para as indústrias de torrefação de café e R$ 400 milhões para as cooperativas de produção.

No final de abril, o governo havia elevado o preço mínimo do café (valor utilizado nas operações de apoio à comercialização do produto), mas sem incluir, na ocasião, a proposta do Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC) para uma linha de financiamento do capital de giro.

Incertezas quanto ao volume e à qualidade do café que será colhido na safra brasileira 2014/2015 têm deixado o mercado interno bastante volátil.

Em termos globais, relatórios divulgados no final de maio pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) indicam que a produção deve se reduzir no Brasil e na Indonésia, mas pode aumentar na Colômbia e no Vietnã, números superiores aos de institutos nacionais.

Fonte: DCI