O tamanho do seu plantio, não muda o tamanho da nossa dedicação.
34 9.9147-9310
Seg - Sex: 08:00 - 18:00
13 jul 2016

Produtores rurais faturam para plantar araucárias no Paraná

O foco do projeto está voltado para os pequenos agricultores, que se comprometem com o plantio de até 200 mudas de araucária por propriedade

A araucária, que cobria 40% do território, hoje está em 3% do solo paranaense
A araucária, que cobria 40% do território, hoje está em 3% do solo paranaense

A araucária é a árvore símbolo do estado do Paraná. No entanto, a espécie que já chegou a cobrir 40% do território paranaense, hoje está presente em apenas 3% da área. Para recuperar a incidência dessa planta nativa, o governo tem desenvolvido diversos programas que incentivam os produtores a plantarem araucárias.

Um dos projetos é o “Estradas das Araucárias”, realizado a partir de uma parceria entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná e empresas privadas. Através deste programa, as companhias pagam para os produtores plantarem araucárias em suas propriedades, em troca da compensação ambiental.

O foco do projeto está voltado para os pequenos agricultores, que se comprometem com o plantio de até 200 mudas de araucária por propriedade, garantindo uma renda anual extra de mil reais. “O objetivo é estimular o plantio. As araucárias não competem com outras atividades na pequena propriedade e ainda assim são alternativas de renda, tanto no plantio, como depois, com a venda do pinhão”, explica Edilson Batista de Oliveira, pesquisador da Embrapa Florestas. Desde quando iniciou, há quatro anos, o “Estradas das Araucárias” já distribuiu 20 mil mudas.

Fonte: Ciclo Vivo

12 maio 2015

Embrapa desenvolve Araucárias que produzem pinhão em menos tempo

As árvores também são menores e facilitam a colheita da pinha. A técnica utilizada pela instituição é simples e fácil, é a enxertia.

materia_pinhaoA Embrapa Floresta do Paraná desenvolveu uma técnica para produção precoce de pinhões. A pesquisa utiliza o processo de enxertia. Quando as mudas estão com mais ou menos um ano de idade, elas estão prontas para receber o broto de uma Araucária mais velha e assume a idade da ‘Araucária mãe’. Para isso é preciso pegar um broto no topo da árvore.

Nessa técnica é possível escolher as características que a nova Araucária vai ter. Uma forma de planejar a produção com mais eficiência.. “É uma pesquisa ótima, que favorece a relação do produtor com o cultivo de pinhão”, diz o agricultor Cleverson Coradin.

Essa alternativa de cultivar Araucárias que dão pinhões com a metade do tempo de uma convencional e que produzem árvores menores, facilitando a colheita, pode ajudar no combate a extinção da árvore símbolo do Paraná.

O pesquisador Ivar Wendling, da Embrapa, ensina o processo da enxertia. Para conferir o passo a passo assita ao vídeo na íntegra.

Fonte: G1