O tamanho do seu plantio, não muda o tamanho da nossa dedicação.
34 9.9147-9310
Seg - Sex: 08:00 - 18:00
13 out 2014

Bolívia divulga estatísticas do comércio de madeira no ano

É a primeira vez, em nível nacional, que as importações excedem as exportações

tora-boliviaO valor das exportações de madeira da Bolívia diminuiu 0,8% em relação ao mesmo período de 2013 e as importações estão crescendo de forma constante, aumentando 9,4%. A balança comercial no primeiro semestre de 2014 ficou negativa, com uma diferença de US$ 71.299 mil. É a primeira vez a nível nacional que as importações excedem as exportações.

De acordo com Erwin Vargas, presidente do Departamento Comercial da Câmara Florestal da Bolívia, o destaque é a recuperação do mercado dos Estados Unidos da América, que cresceu cerca de 27% em compras de produtos de madeira da Bolívia , o que representa pouco mais de um terço do total das exportações do país. Isso torna o principal destino das nossas exportações. Por outro lado, as importações têm crescido, enquanto as do Brasil não cresceram muito, representando quase 60% do total das importações.

Estados Unidos se tornam maior comprador de madeira boliviana

Das exportações de madeira, os EUA adquiriram 34,4% do total, ou seja, US$ 11,5 milhões com um crescimento de 27% em relação ao mesmo período de 2013, porém, seguido de longe pela China com US$ 4,4 milhões e 64% de crescimento. Em terceiro lugar aparece o Brasil com US$ 1,9 milhões – um aumento de 80,2%.

Os 10 países que mais compram a madeira da Bolívia são EUA, China, Brasil, Chile, Venezuela, Itália, Alemanha, México, Hong Kong e Argentina, o que representa 81% do total das exportações

Fonte: Câmara Florestal da Bolívia
13 out 2014

Colheita de madeira na Bolívia pode ser prejudicada por falta de óleo diesel

País precisa melhorar mecanismos de monitoramento e controle de processos de produção

trator-toraEnquanto o clima tem favorecido o bom desempenho da gestão de colheita de madeira este ano nas áreas de produção do país nos últimos 2 meses, o que até agora é um aumento de 30%, em nível nacional, de 250 mil hectares de florestas legais subutilizadas. No entanto, outra preocupação da indústria da madeira, além do enorme crescimento das importações no setor, é o problema da falta de fornecimento de diesel que as empresas têm para trabalhar na colheita.

O gerente geral da Câmara Florestal da Bolívia (CFB), Jorge Ávila, disse que enquanto a extração de madeira está bem, em seu segundo mês de colheita em áreas produtivas, porque foi alcançado um consenso com a Autoridade de Florestas e Terras (ABT) para melhorar os mecanismos de monitoramento e controle de processos de produção. No entanto, o fato que preocupa é a dificuldade no fornecimento óleo de diesel para as empresas, principalmente para os pequenos e médios produtores.

Segundo Ávila, o único fator que preocupa agora é o diesel. “Os mecanismos da Força Especial contra o Narcotráfico (FELCN) estão criando uma série de problemas que prejudicam a safra deste ano”, disse Ávila, que acrescentou que a Câmara Florestal está fazendo diligências junto do FELCN, para conseguir o insumo em tempo necessário.

Fonte: Câmara Florestal da Bolívia (CFB)

toc dep | giam can nhanh