O tamanho do seu plantio, não muda o tamanho da nossa dedicação.
34 9.9147-9310
Seg - Sex: 08:00 - 18:00
23 jul 2015

Marceneiros de Cruzeiro do Sul preparam produção para a Expoacre

Comitiva formada por cinco moveleiros vai expor 30 peças de madeira na maior Feira de Negócios do Acre deste ano.

Com a aproximação do evento, os marceneiros seguem um ritmo acelerado de produção.
Com a aproximação do evento, os marceneiros seguem um ritmo acelerado de produção.

Famosos por sua irreverência e criatividade na fabricação de móveis, os marceneiros do Vale do Juruá também vão participar da Expoacre 2015. A comitiva formada por cinco moveleiros de Cruzeiro do Sul vai expor 30 peças de madeira na maior Feira de Negócios do Acre. Com a aproximação do evento, os marceneiros seguem um ritmo acelerado de produção.

Para o marceneiro Eduardo Santos Rocha, a feira é uma excelente oportunidade de negócio. “É um espaço onde a gente pode expor nossos produtos para todo o Estado. Muitas vezes a pessoa não compra na hora, mas fecha boas encomendas. Estou empolgado para participar”, disse.

Há um mês instalado e produzindo no Polo Moveleiro de Cruzeiro do Sul, Eduardo observa a importância do novo espaço para a melhoria da qualidade de trabalho. “A minha marcenaria antes era em uma área imprópria. A vinda para o polo melhorou em 100% a minha qualidade de vida”.

O galpão moveleiro, organizado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Florestal, da Indústria, do Comércio e dos Serviços Sustentáveis (Sedens), é um dos espaços de maior visitação na Expoacre. Nesta edição, o galpão vai receber a Unidade Madeira e Mobiliário do Senai.

Fernando Lima, gestor da Sedens, destaca que o governo vem investindo no fortalecimento da categoria. “Investimos não só no auxílio da matéria-prima, mas também na qualidade dos produtos, oferecendo cursos de design aos marceneiros. E a equipe de Cruzeiro tem se mostrado muito organizada, com uma qualidade de móveis excepcionais. Tenho certeza de que a feira será uma excelente oportunidade de negócio para o Acre”.

Fonte: Agência Notícias do Acre

19 maio 2015

Pau mulato representa 20% dos lucros em venda de madeira

Finalidade é desenvolver um sistema de manejo que reduza despesas.

Pau mulato rende madeira para telhados e móveis (Foto: G1).
Pau mulato rende madeira para telhados e móveis (Foto: G1).

O pau mulato, árvore da Amazônia explorada para a confecção de telhados e móveis, representa 20% dos lucros em venda de madeira no Amapá, segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que realiza pesquisas para a regeneração da espécie. A expectativa é trabalhar com cerca de 50 mil mudas, por hectare, em áreas de roça abandonada.

De acordo com a Embrapa, o trabalho começou em 2010, com o objetivo de desenvolver um sistema de manejo da regeneração natural da árvore e que reduza as despesas para os produtores. Segundo os pesquisadores, o manejo da regeneração natural do pau mulato rende uma madeira mais larga, indicada para produzir energia, postes e construções rústicas e na serraria. Com essa maneira, o produtor não precisa produzir e plantar as mudas. Assim, as despesas no plantio serão reduzidas.

O pesquisador Marcelino Carneiro Guedes, coordenador do Projeto Florestam, disse que a ideia da pesquisa é valorizar a abundância da espécie em áreas abandonadas. “Não queremos comprometer a qualidade da madeira, pelo fato do rápido crescimento dessa árvore, pois o tronco pode chegar a até 30 metros de altura. Por isso a área de manejo deve ser em roças abandonadas”, disse.

A venda de madeira arrecada cerca de R$ 16 milhões para o Amapá. Segundo a empresa, a pesquisa de regeneração do pau mulato surgiu após um decreto do governo do estado que autoriza a redução do diâmetro mínimo de exploração da espécie, com corte e remoção parcial da árvore. O procedimento era feito de maneira total e, com isso, a regeneração era comprometida.

Fonte: G1

toc dep | giam can nhanh