O vazamento tóxico ocorreu, há duas semanas, devido a uma ruptura em uma tubulação da Anglo American Fosfatos Brasil.

cubataoO município de Cubatão, em São Paulo, foi atingido por chuva ácida após o vazamento de dióxido de enxofre da fábrica Anglo American Fosfatos Brasil, segundo Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental). O órgão afirmou, na última sexta-feira (30), que o ocorrido tornou o ar impróprio e ofensivo à saúde.

O vazamento tóxico ocorreu, há duas semanas, devido a uma ruptura em uma tubulação da companhia, que levou cerca de 80 pessoas ao pronto socorro com sintomas de irritação nos olhos, nariz, garganta, ânsia de vômito e dores no corpo. O dióxido de enxofre é um gás denso, incolor e não inflamável.

A fábrica de fertilizantes foi multada em 212 mil e ainda terá que cumprir uma série de medidas para evitar que a emissão atinja a população vizinha e também para prevenir novos acidentes. Infelizmente, alguns danos já são visíveis, como mostrado em reportagem do G1: a vegetação em partes da cidade apresenta manchas e perfurações, evidências da chuva ácida.

“A preocupação é grande, pois no Jd. Costa e Silva as folhas estão desidratadas e caindo como se estivéssemos na estação do outono”, disse a prefeita da cidade, Marcia Rosa, em seu Twitter.

A chuva ácida, como afirma a prefeita, é um problema que Cubatão conhece muito bem. Por muito tempo, Cubatão foi chamada de “Vale da morte” devido aos altos níveis de poluição que, durante anos, causou problemas respiratórios na população e muitas mortes. Esse quadro reverteu nos últimos anos e a ONU chegou até a nomeá-la um modelo de recuperação ambiental. No entanto, o polo industrial instalado e a falta de rigor na segurança, ainda tornam a região muito vulnerável.

Fonte: CicloVivo