Um vídeo feito pela Abraf desmistifica tudo nos mínimos detalhes e alguns deles estão contidos no texto, mas o link está logo abaixo

A madeira oriunda das florestas plantadas são a garantia de consumo em todas as cadeias produtivas
A madeira oriunda das florestas plantadas são a garantia de consumo em todas as cadeias produtivas

Detalhado e minucioso. Assim é o vídeo produzido pela Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas (Abraf) sobre o uso e a importância da madeira para cada cidadão do mundo.

Muito didático e divertido, o vídeo começa logo informando que o ser humano inicia o consumo de madeira assim que nasce, com o berço, a cadeirinha do bebê, seguido de móveis da casa como guarda-roupas, mesa, além da escola, com o quadro, janelas, portas, piso e armação do telhado.

O vídeo aborda os caminhos de diversas cadeias produtivas da madeira, mostrando a importância do carvão vegetal oriundo das florestas plantadas, que serve para fazer churrasco, energia para a produção de cerâmica, e como matéria-prima para a produção do aço, passando antes pelo ferro-gusa.

Na sequência, o vídeo mostra que a madeira é a base para toda a indústria de celulose, papel, tintas, vernizes, colas, graxas, esmaltes, ceras, adesivos, óleos e até produtos de limpeza. Segundo dados da Abraf, cada pessoa consome meio metro cúbico de madeira por ano – o equivalente a uma área de 25 metros quadrados.

O nível de informações é tão amplo e calculado que no vídeo é mostrado que uma pessoa consome mil metros quadrados de madeira em 80 anos – tudo de florestas plantadas. São necessários 3,5 bilhões de metros cúbicos de madeira para atender à demanda anual. Em termos de florestas plantadas, são necessários 875 mil quilômetros quadrados – uma área equivalente a 122 milhões de campos de futebol.

Como a população mundial cresce em mais de duas pessoas por segundo, são 63 milhões seres humanos a mais todos os anos, ou seja, sem florestas plantadas e renováveis seria impossível manter o consumo. No Brasil, o plantio de florestas começou há pouco mais de 100 anos e hoje um hectare floresta plantada é igual a dez de florestas nativas.

As florestas de eucalipto e pinus existentes no Brasil absorvem uma área de apenas 6,7 milhões de hectares. Esta área é equivalente a 170 vezes à Baía de Guanabara e 11 vezes o Distrito Federal. As empresas ligadas à Abraf protegem uma área de 4,3 milhões de hectares. E tudo isso é menos de 1% do território nacional.

O Brasil mantém 69,4% de sua vegetação original. Este número é oito vezes maior que a África, 12 vezes que a Ásia e 231 vezes maior que na Europa, além de contribuir para a redução do efeito estufa. As florestas de eucalipto e pinus absorvem 160 milhões de toneladas gás carbônico lançados na atmosfera anualmente, a mesma quantidade de gases emitida pela frota de automóveis da cidade de São Paulo.

As florestas vêm sendo renovadas há 60 anos, formando um habitat para a fauna nativa e gerando condições de recuperar áreas degradadas – isso tudo sem concorrer com a área utilizada na produção de alimentos. Em 2012, o setor florestal gerou 4,4 milhões de empregos diretos e indiretos, exportou US$ 7 bilhões, arrecadou R$ 7,6 bilhões e produziu R$ 56 bilhões – o equivalente ao Produto Interno Bruto (PIB) do Paraguai.

Em termos de programas sociais, culturais e de saúde, as empresas investiram R$ 150 milhões, beneficiando 2,8 milhões pessoas em 16 Estados. Dos 5.564 municípios brasileiros, 1.100 plantam florestas e nestas cidades o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é maior 34%, em média, que os municípios que não têm indústria de base florestal. Moral da história: é impossível viver sem florestas plantadas e sem a madeira gerada nelas.

Confira o vídeo!

Fonte: Painel Florestal